Um anão entra numa farmácia e pede:
— Por favor, quero uma aspirina!
O farmacêutico, espantado com o tamanho, ou melhor, com a falta de tamanho do anão, tenta ser solicito:
— Quer que eu embrulhe?
— Claro. Ou o senhor quer que eu vá rolando ela por ai?!