– Meu marido, preciso fazer uma confissão – diz a mulher no leito de morte, com voz trêmula – nosso filho mais velho… não é teu!
– Não te preocupes agora com isso, mulher – responde o marido e, abaixando a cabeça, prossegue – Sabes? O nosso filho Joaquim… não é teu!
– Mas como, Manoel!? – diz a mulher, que não sabe se ri ou se chora – Como que não é meu? Eu o tive nove meses em meu ventre!
– Mas não te lembras do primeiro dia na maternidade?
– Claro que lembro, como poderia esquecer?
– O Joaquinzinho fez cocô e você me mandou trocá-lo e eu… o troquei por outro bebezinho que estava limpinho!