Muito triste, o caipira procura o compadre da fazenda vizinha:
– Bento! Minha vaca tá doente, rapaiz… Lembra quando a sua ficô doente, o que foi que ocê deu pra ela?
– Ah, eu dei uma ração especial! Se ocê quiser eu te dou o que sobrou!
O caipira pega a ração, agradece e vai embora. Uma semana depois ele reencontra o compadre.
– Xii, Bento… Nem teve jeito, rapaiz… Eu dei aquela ração pra minha vaca… E a danada morreu!
– Óia qui coincidência! A minha tamém!