O sujeito está no hospital a beira da morte, cheio de tubos para mante-lo em vida o máximo possível.
A família chama o padre para dar-lhe os ritos finais.
Quando o padre senta a cabeceira do moribundo, o estado dele parece deteriorar rapidamente, e ele pede freneticamente com gestos algo para escrever. O padre lhe da um bloquinho e uma caneta, e o doente escreve algo no papel, e em seguida morre. O padre dá a extrema unção e guarda as ultimas palavras no bolso.
No enterro, depois da cerimonia, o padre mexe no bolso e encontra o papelzinho, e se lembra de que o morto tinha escrito algo. Ele aproveita a presença de todos e diz:
– Nosso saudoso amigo ainda escreveu algo neste papel antes de morrer. Suponho que todos gostariam de saber qual foi seu último pensamento.
Ele abre o papel e lê em voz alta:
– SEU ANIMAL!!!! VOCÊ SENTOU NA MANGUEIRA DO MEU TUBO DE OXIGEN…..