O sujeito estava no bar tomando uma pinga, quando um funeral chamou a sua atenção. Atrás do carro fúnebre seguia um homem com o seu cachorro e, atrás dele, uma fila indiana com umas mil pessoas.
Curioso, ele aproximou-se do homem com o cachorro e comentou:
– Com tanta gente, a pessoa que morreu devia ser muito famosa…
– Era a minha sogra!
– Puxa! Meus sentimentos! Ela morreu de quê?
– Foi mordida por este cachorro!
Depois de alguns minutos de silêncio, o homem que estava no bar cria coragem:
– O senhor pode me emprestar o seu cachorro, por um momento?
– Claro! Entre na fila!