Estava a Edite Estrela numa bomba da A2 a caminho do Algarve quando vê começarem a chegar muitas motos.
Quando um dos motociclistas lhe passa ao pé, ela pergunta:
– Desculpe, mas aonde vão todas estas motos?
– Vamos para Faro, diz o motociclista.
Imediatamente a Senhora Dona Edite Estrela, com um costumeiro sorriso condescendente, diz:
– Lamento, mas o que disse não está correcto!
– Ahn?!?, que é como quem diz: “desculpe não percebi, importa-se de repetir…”
– O senhor é de Lisboa?
– Sou. Porquê?
– Então deveria ter dito “Eu vou a Faro”, porque isso implica que vai e volta. Se disser “Eu vou para Faro” isso implica que vai e não volta, o que não é correcto.
O motociclista começa então a fazer uma cara de concentração à Edite.
– Não está a perceber o que eu disse?, pergunta ela, muito solícita.
– Não, não! Eu percebi! Estou é a pensar se a mando à merda… ou para a merda…