Em frente a um presídio de Portugal, ouve-se gritos desesperados. De repente um homem que passa na rua e resolve perguntar o que está havendo.
— Não é nada demais — respondeu o vigia do presídio — É que um de nossos presidiários foi condenado a morreire na cadeira elétrica, mas está a faltaire luz no presídio.
Então nós resolvemos mataire à luz de velas mesmo.