Um argentino pede a um taxista que o leve ao mirante de uma estrada nas proximidades de Buenos Aires, onde fica prostrado por mais de duas horas, observando a cidade sem dizer uma palavra.
A certa altura, o motorista perde a paciência e interrompe o seu devaneio:
– Mas que tanto o senhor observa?
– Estou olhando para ver como é a cidade sem mim!