De viagem no interior, o paulista vê um grande lago e tem a brilhante idéia de fazer uma pescaria.
— Esse lago é propriedade de alguém? — pergunta ele a um caipira que está passando.
— Não sinhô. É prúbico!
— Então é crime tirar alguns peixes dele?
— Crime num é não sinhô… É milagre!