Depois de um mês em coma, o sujeito, vítima de um acidente de automóvel, reclama com o médico:
– Doutor, doutor, eu não consigo tocar na minha perna.
– Mas, é claro, que não! Amputamos os seus dois braços!