O português foi contratado para pintar as faixas de uma estrada. No primeiro dia ele pintou quinze quilômetros de faixa.
– Parabéns, seu Joaquim! Excelente! – elogiou o inspetor.
No dia seguinte ele pintou doze quilômetros.
– Bom Trabalho! – elogiou o inspetor.
No dia seguinte ele pintou oito quilômetros.
– Precisa melhorar! – pediu o inspetor.
No outro dia ele pintou quatro quilômetros.
– A sua produção está baixíssima! – advertiu o inspetor.
No outro dia ele pintou um quilômetro.
– O senhor está despedido! – declarou o inspetor.
– Oras bolas – defendeu-se o portuga. – Que culpa eu tenho se a lata de tinta fica cada vez mais longe?!