Na farmácia lotada daquela pacata cidadezinha do interior, aparece uma menina de seis anos e grita:
– Duas dúzias de preservativos de todos os tamanhos!!
A atendente corre até a menina, se ajoelha e lhe fala ao ouvido:
– Eu vou lhe falar três coisinhas: primeiro, não se deve gritar desse jeito; segundo, preservativos não são para criancinhas pequenas como você e, terceiro, fala para seu pai dar uma passadinha aqui.
– Eu também vou falar três coisinhas – responde a menina – primeiro, na escola me ensinaram que devo falar alto e claro; segundo, eu já sei que preservativos não são para criancinhas, são contra criancinhas e, terceiro, meu pai não tem nada a ver, os preservativos são para minha mãe que vai ficar três semanas no Rio, visitando minha tia!