Um alentejano veio a Lisboa e encontrou-se com um amigo. Andavam os dois a passear pela rua e o alentejano cumprimentava todos os manequins que via nas montras. O amigo disse-lhe para não fazer aquilo, porque aquelas figuras não eram pessoas.
– Bom, está beim – respondeu-lhe o alentejano.
Certo dia iam a passar por um quartel e estava lá o sentinela em sentido.
Vai o alentejano dá-lhe uma bofetada e diz:
– Quem é que há-de dizer que um safado destes não é gente?