Jacó levou o filho Jacozinho para um parque que havia
chegado na cidade. Chegando lá, uma das atrações era
uma pequeno avião que fazia passeios com as crianças.
Ele se aproximou com Jacozinho e o piloto do avião
dirigiu-se a ele e disse:
– Então, que dar um passeio com o garoto. São 50 reais.
Jacó, mão-de-vaca como sempre:
– Não. É muito cara.
Jacozinho ficou furioso e começou a chorar.
– Babai, babai leva jacozinho, leva jacozinho.
O piloto comovido com o choro do garoto disse:
– Bem, vamos fazer o seguinte: como o senhor está
achando caro e seu filho quer muito ir façamos um
trato. Eu levo vocês de graça. Mas não pode ter
medo! Se gritar ou der um suspiro de medo, você me
paga o passeio. OK?
– Vamos Jacozinho, sobe. Rapaz sabe fazer negócio.
O piloto então decolou e ficou olhando pelo espelho a
feição de Jacó. Ele estava impassível.
O piloto começou a fazer várias manobras e Jacó
impassível. Deu mergulhos, loops, girou de cabeça para
baixo, desligou o motor, raspou em uma árvore, e Jacó
nada.
Ele desistou e então pousou.
Já no chão, virou-se para Jacó e perguntou:
– Tudo bem, o senhor não me paga. mas confesse, não
teve vontade de gritar nenhuma hora?
E Jacó:
– Bem.. pra dizer a verdade, quando Jacozinho caiu eu
quase gritei.