O paquera abordou a mocinha na lanchonete.
– Aceita um cafezinho?
A mocinha não tava nem aí. Ele insistiu:
– Talvez um suco de laranja?
Ela foi em frente e ele atrás. Ela entrou numa bomboniere.
– E bombons? Gosta de bombons?
Ela lhe deu um olhar gelado e virou as costas.
Engoliu em seco aquele lombo monumental e arrematou:
– Trepar nem pensar, né?