Tarde da noite, o padre está passando perto de um cemitério, quando ouve um gemido:
– Aaahumm… Aaahumm… Aaahumm…
Assustado, ele ameaça sair correndo, mas logo se lembra do vexame a que ficaria exposto e muda de idéia. Se enche de coragem, segura firmemente no crucifixo que traz no bolso e pergunta para a voz:
– O que é que essa pobre alma está precisando?
E a voz responde:
– Papel higiênico!