O presidente faz uma visita a uma escola em Brasília e entra numa sala de aula no meio de uma discussão sobre significado das palavras. A professora pergunta ao presidente se ele gostaria de conduzir o tema na discussão da palavra tragédia. Ele aceita e pede à turma que lhe dê um exemplo de tragédia.
Um garoto se levanta e diz:
– Se meu melhor amigo está brincando na rua e um carro o atropela, isto seria uma tragédia!
– Não – diz o presidente – isto seria um ACIDENTE.
Uma garotinha levanta a mão.
– Se um ônibus escolar levando cinqüenta crianças – pergunta ela –
cai na ribanceira, matando todo mundo, isto seria uma tragédia?
– Também não – explica o Presidente – Neste caso seria uma GRANDE PERDA.
A sala fica em silêncio. Nenhum voluntário. O Presidente olha para a turma:
– Não há ninguém aqui que pode me dar um exemplo de tragédia?
Finalmente, lá no fundo da sala, um garotinho levanta a mão. Com uma voz tranqüila, ele diz:
– Se o avião presidencial, levando o senhor e primeira dama, fosse atingido por um míssil, matando todos os ocupantes, isto seria uma tragédia!
– Fantástico! – exclama o presidente – Correto! E você pode me dizer por que seria uma tragédia?
– Bem, – diz o garoto – porque não seria um acidente e também não seria uma grande perda!