As duas freiras andavam à noite pela rua, quando foram abordadas por dois marginais que as arrastaram para um beco escuro e mandaram-lhes as respectivas varas.
Uma delas, tomada de um intenso fervor religioso, começa a rezar:
– Senhor, perdoai-os! Eles não sabem o que fazem!
Ao que a outra intervém:
– Só se for o seu… porque o meu é um verdadeiro artista!