O português sequestra um rapaz, e manda uma carta e uma orelha cortada aos familiares do sequestrado.
Horrorizados, os familiares lêem a carta:
“Essa orelha é minha… Mas a próxima será dele!”