De um dia para o outro, Josevaldo fica muito mal do estômago, mas muito mal mesmo e, com a certeza de que está nas últimas, diz à mulher:
– Querida, estou muito mal, acho que de hoje eu não passo, então tenho que lhe fazer uma confissão…
– Não precisa, meu bem…
– Precisa sim! Não irei tranqüilo se não dizer… Eu tenho um caso com a…
– Com a Vilma, minha amiga! – completa a mulher – Eu sei de tudo, meu amor! Fique tranqüilo…
– Você sabe? – pergunta o marido, surpreso.
– Claro! Por que você acha que coloquei veneno na sopa que te dei ontem à noite?