O homem teve quatro filhos, três muito bonitos, fortes e saudáveis e um, o caçula, que se chamava Joãozinho e era fraquinho, mirrado e todo desajeitado. Durante toda a vida desconfiou da esposa, mas nunca tive coragem de mencionar o assunto, porém, já no leito de morte, não resiste:
-Minha querida, eu queria saber se o Joãozinho é realmente meu filho.
-O Que é isso, querido?!
-Por favor, não minta pra mim. Se não for, não tem problema… eu te perdôo desde já. Eu só queria saber a verdade…
-Sim, querido. – responde a mulher. – Você é o pai de Joãozinho sim, juro por tudo o que é mais sagrado.
-Puxa, que bom ouvir isso. – solta o seu último suspiro e morre.
E a esposa, aliviada:
-Ainda bem que ele não perguntou dos outros três!