O telefone não parava de tocar, até que finalmente, aquele doido resolveu atender:
– Alô!
Do outro lado da linha, o homem perguntou:
– Alô! Por favor, aí é do hospício?
O louco respondeu, meio irritado.
– Tá maluco? É claro que não! Aqui nem tem telefone!