A caravana do governo seguia pelo interior do Piauí, em vários carros. Todo mundo disfarçado de povo. Lá pelas tantas, no meio do poeirão, bate aquela sede, e o presidente manda parar junto da primeira casa no caminho para beber um pouco de água. Diante do pedido daqueles homens importantes, tudo doutor, a dona do casebre, hospitaleira como todo sertanejo, grita para o menino de uns 9 anos que estava sentado na porta:
– Luiz Inácio! Corre aqui, chegue! Traiz a quartinha e as caneca prus dotô bebê água!
Lula, todo vaidoso, pergunta:
– Eu vi que a senhora chamou o garoto de Luiz Inácio. Ele tem esse nome em homenagem a alguém?
E ela, sem nunca imaginar que era presidente em pessoa que estava ali, responde:
– Não, dotô, na verdade o nome dele é Fernando Henrique, mas é que urtimamente esse minino deu prá minti e fazê tanta merda, que nóis apelidô ele anssim.