O mineiro está pescando na beira do riacho, de repente chega um conhecido, acocóra-se ao seu lado, faz um cigarrinho de palha e fica ali, observando a superfície do rio durante várias horas, no mais absoluto silêncio.
A certa altura, o mineirinho incomodado com a presença do amigo, resolveu falar:
– Qué pescá um cadim?
E o outro:
– Deus me livre, moço! Tenho paciência préssas coisas não, sô!