No ônibus, o cidadão acende o seu charuto e começa a fumá-lo tranquilamente, quando lá na frente levanta-se a bicha, muito incomodada e reclama:
– Credo! Que fedor! Mas que vício horrível o senhor tem!
E o sujeito:
– Bonito é o teu, né?