No quarto de um asilo dormiam mais de vinte velhinhos e havia uma escarradeira no centro, que eles usavam para cuspir.
Como ninguém nunca havia lavado a escarradeira, ela estava quase lotada e o seu conteúdo estava até verde.
Até que um belo dia, a escarradeira amanheceu limpinha, parecia nova.
Surpresos e ao mesmo tempo felizes, os velhinhos quiseram descobrir quem tinha feito a boa ação.
Foram perguntando de um em um até que perguntaram para um senhor todo curvado, magrinho, tímido que respondeu:
– Fui eu! É que ontem à noite quando eu fui cuspir, ficou um fiozinho enroscado no canto da minha boca e aí eu fui chupando, chupando…