Joãozinho vai à farmácia.
– Seu Joaquim, me dê uma caixa de supositórios.
Distraído, o menino pega a caixa e vai saindo da farmácia sem entregar o dinheiro.
– É pra pôr na conta de sua mãe? – grita-lhe o farmacêutico.
– Não, é pra pôr no cu do meu pai!