Um papagaio está dando umas voltas e se surpreende com um velho amigo, também papagaio, agora todo enviadado:
— Que é isso, cara? — grita ele, bravo.
— O que foi, louro? Nunca viu não, é?
— É você mesmo, Zé?
— Zé não! Agora meu nome é Josefa! Muito prazer!
— Sai pra lá, Zé! Tá louco!? Usando batom no bico, com uma mecha das penas tingida de loiro…
— Fiz luzes! Você gostou?
— Cê tá horrível, cara! Fica aí rebolando, falando com essa voz fina, desmunhecando a asa! Posso saber o que aconteceu com você?
— É muito simples — disse o papagaio homossexual – Eu cansei desse negócio de ficar dando o pé!